Translate - tradutor

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Jornalista Lígia França fala sobre João Couto

MATÉRIA DA JORNALISTA E PUBLICITÁRIA - LIGIA FRANÇA https://www.facebook.com/ligia.franca.90?fref=ts

SOBRE JOÃO COUTO.

O TICO E TECO DE UM BATERISTA É COISA DE MALUCO!
Um bom baterista tem atividade cerebral mais intensa
Tá-tutum-pá-pá-tutum-pá... Parará! Já viu alguém tentando fazer o som do ritmo de uma bateria? É mais ou menos isso, não é? Bom, até aí não é tão complicado. O problema é quando você se senta no banquinho em frente à bateria, imaginando que vai conseguir usar as baquetas como usa a boca para imitar o som do instrumento. Há-há-há! O tico e teco dá um nó! Juro que já tentei e não consegui.
Eu admiro um baterista. Usar as mãos e os pés, tudo ao mesmo tempo, obedecer o compasso e, ainda, usar a criatividade para os arranjos não é pra qualquer um. Não foi à toa que vencedores do Prêmio Nobel de Medicina por estudos sobre câncer, os suecos do Instituto Karolinska, fizeram uma descoberta curiosa: os bons bateristas são mais inteligentes do que reles mortais. De acordo com os pesquisadores, quem consegue repetir tarefas respeitando um espaço de tempo específico, tem uma atividade cerebral mais intensa e consegue se conectar melhor. Bom, isso se estende aos músicos de uma maneira geral. Parabéns pra vocês!
Agora, um bom baterista, precisa de um bom instrumento. Caso contrário, o som será apenas a lembrança de uma brincadeira gostosa de criança, quando usávamos as panelas da mamãe e as colheres de pau para fazer barulho.
João Couto, o QI de ouro (rs) e super batera, tem apoios importantes para que os shows sempre tenham excelente qualidade musical. Sim, ele tem os dois: inteligência e qualidade.


Ligia França
Jornalista e Publicitária


Postar um comentário